ATENÇÃO – XVII Fábrica de Ideias 2015

Encontros e desencontros nas Ciências sociais em língua portuguesa

Escola Doutoral Fabrica de Ideias

26-31 de janeiro de 2015

Lisboa, ISCTE

 

O curso avançado em estudos étnico-raciais Fábrica de Ideias, iniciado em julho de 1998, é o resultado de uma iniciativa pioneira no âmbito das instituições universitárias brasileiras, cujo objetivo é fomentar tanto o intercâmbio de professores e alunos da pós-graduação interessados na temática dos estudos étnico-raciais e na interface com os estudos africanos, quanto favorecer à incorporação de uma dimensão comparativa e internacional.

Os professores da Fábrica de Ideias, além de ministrar aulas, auxiliam os alunos nos projetos de pesquisa. Às vezes, a partir destes contatos, alguns dos alunos despertam interesses em realizar parte dos estudos em outras instituições no Brasil ou no exterior, enquanto outros mantêm contato com os professores do curso durante a realização de suas pesquisas, ou seja, a experiência da Fábrica de Ideias muitas vezes se amplia para além do contato inicial.

O curso Fábrica de Ideias tem sido reconhecido como experiência única no mundo acadêmico, no sentido de sua contribuição ao debate, em nível de pós-graduação e a formação de redes entre docentes e estudantes das mais variadas regiões e países do mundo, principalmente, entre os países da América Latina e da África.

Aproveitando do movimento que levou à produção do Dicionário Critico das Ciências Sociais dos Países de língua oficial portuguesa, publicado em 2014, o curso Fábrica de Ideias em sua edição 2015, realizado pela primeira vez fora do Brasil – no ensejo do CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO, em Lisboa, cujo tema será “Imaginar e Repensar o Social: Desafios às Ciências Sociais e Humanas nos Espaços de Língua Portuguesa, 25 anos depois” –  apresentará, durante cinco dias, uma sessão temática em torno de um verbete que será alvo das reflexões a  cada dia.

No decorrer da História, investigadores em diversos campos disciplinares tem provocado debates – nem sempre se entendendo – em torno da compreensão e do sentido de uma série de termos ou noções chaves através dos quais paradigmas e perspectivas diferentes tem dado corpo para um panorama do que hoje conhecemos como ciências humanas. Uma reflexão importante a se fazer é sobre qual o caminho epistemológico mais salutar : almejar o consenso em torno do uso de um determinado termo ou aprender a historicizá-lo e contextualizá-lo, sem incorrer na síntese e no determinismo ?

Serão os próprios autores a apresentar o processo que levou à feitura e elaboração do verbete: as indagações/inquietaçoes, as escolhas (o que tratar e o que deixar fora), as tentativas de pensar um verbete de forma mais abrangente e que pudesse interessar a todos ou quase todos os países de língua oficial portuguesa, as vantagens e desvantagens de pensar as ciências sociais no âmbito da língua portuguesa, quais são as continuidades e as rupturas no tempo e no espaço no uso de um determinado termo, quais são as escolas ou correntes de pensamento a respeito.

A programação em breve será divulgada, mas adiantamos possíveis verbetes a serem tratados no escopo de nosso eixo de investigação no campo dos estudos étnicos e africanos: modernidade, literatura, língua, raça, desenvolvimento e patrimônio.

Entre os docentes que farão parte do curso, estarão pesquisadores de referencia no próprio campo, como Omar Thomaz (Unicamp), Elisio Macamo (Universidade de Basileia), Claudio Furtado (UFBA e UNICV), Livio Sansone (UFBA), Antonio Motta (UFPE).

A metodologia do trabalho seguirá a dinâmica de aulas no turno da manhã  (teremos cinco aulas expositivas por um total de 20 horas aula) e na parte da tarde, os alunos sob a coordenação de um dos docentes continuarão o debate em forma de seminarios, cujo objetivo será relacionar o curso com o projeto de pesquisa desenvolvido pelo participante.

O curso se realiza como parte das atividades do XII CONLAB, logo na semana antes do congresso, e é organizado pela Fabrica de Ideias do Programa de Pós-graduação em Estudos Étnicos e Africanos (Posafro) da UFBA em parceria com o Centro de Estudos Internacionais do ISCTE.

O curso se realiza no ISCTE, Lisboa e oferece credito de pós-graduação europeus.

Em breve disponibilizaremos informações mais detalhadas e o formulário de inscrição.

 

Coordenação do Programa Fábrica de Ideias:

Livio Sansone – Ufba

Equipe de Professores associados:

Maria do Rosário de Carvalho – UFBA

Jamile Borges – Ufba

Cláudio Pereira – Ufba

Ângela Figueiredo – UFRB

Cláudio Furtado – Ufba

Marcelo Cunha – Ufba

Assistentes do Programa:

Moisés Gwannael de Santana

    

         Apoio:

FINEP, CAPES, CNPq, Sephis Program e Fundação Ford.

 

           Links:

Relatório de dez anos de atividades do Programa Fábrica de Idéias 1998-2007

Relatório Técnico da Escola Doutoral Fábrica de Ideias 2012